APOIO a refugiados ucranianos custa a Cascais mais de 1 milhão em ajustes diretos

INVESTIGAÇÃO


Por REDAÇÃO
28 junho 2022 | 15h23

Para apoiar os refugiados ucranianos em Cascais, o município liderado por Carlos Carreiras já gastou mais de um milhão de euros em ajustes diretos, revela esta segunda-feira o jornal digital Página Um.

Num trabalho de investigação do jornalista e diretor do jornal, Pedro Almeida Vieira, afirma-se que a edilidade cascalense afanou-se e não tem deixado “secar a caneta”, despachando contratos atrás de contratos, tudo por ajuste direto, mas que grande parte deles são “pouco claros”. 

Leia aqui, na íntegra, a notícia do Página Um e fique, também, a conhecer as respostas que o município deu ao jornal digital.

Segundo dados a que Cascais24Horas teve acesso, Cascais continua a ser o segundo município português no qual o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) atribuiu, desde o início do conflito na Ucrânia, maior número de proteções temporárias a refugiados.

 

Depois de Lisboa, com 8.984 proteções, segue-se Cascais com 2.721, em terceiro o Porto com 1.948, em quarto Sintra com 1.542 e, finalmente, em quinto Albufeira com 1.201.



 

 

 

 


Sem comentários:

Publicação em destaque

POLICIAMENTO de Proximidade reuniu em Cascais Divisões da PSP da Grande Lisboa

  SAIBA mais

FOI NOTICIA

UM JORNAL QUE MARCA A DIFERENÇA

UM JORNAL QUE MARCA A DIFERENÇA