Baixa de Cascais vai ter "Polícia Sinaleiro"

A chamada Baixa de Cascais passa a contar a partir de esta terça-feira, dia 17, com um "Polícia Sinaleiro". O "Polícia Sinaleiro" de Cascais passará a integrar uma das áreas mais vivas do município, contribuindo para aumentar a confiança na Polícia e reforçar o sentimento de segurança dos munícipes e dos milhares de visitantes, nacionais e estrangeiros. Segundo a PSP, o "Polícia Sinaleiro" de Cascais contribuirá, assim, de forma indelével para reforçar a função policial como componente dinâmica da vida social, cultural e económica no município, no qual a PSP está implantada quase desde a sua fundação. O "Polícia Sinaleiro" é um ícone histórico da PSP, que foi uma peça basilar do quotidiano citadino em matéria de mobilidade urbana e segurança rodoviária na primeira metade do século passado.

3 comentários:

Ana Cristina disse...

Não acho nada bem esta medida. Estamos a recuar no tempo. Precisa-se de polícias nas ruas e não a regular o trânsito. Para esse efeito temos os sinais e semáforos. Mas como fica bem e muito típico para o turista ver e tirar fotos...tenho pena dos agente de autoridades que vão fazer esse trabalho.
Como dizem os brasileiros "mais uma ideia de jerico".

Anónimo disse...

Peço desculpa mas a sítios de Cascais, que demoro mais 10 minutos a passar.
Se diz isso é porque não deve ir todos os dias para Cascais.
Um dia demorei duas horas entre o monte Estoril até a Avenida 25 de Abril.

Cascais24 onde irá estar o Policia? Temos vários cruzamentos, que é preciso um polícia Sinaleiro.

Anónimo disse...

É mesmo disto que a mobilidade em Cascais precisa ... é so assuntos tratados com os pés ... neste caso com os braços...

MULTIMÉDIA. SEGURANÇA

A PSP e o Metro recomendam: "Durante a abertura de portas não utilize o telemóvel. Pode ser vítima de roubo."

Abrigos precisam-se!

Quem põe na ordem donos de caninos?

Hospitalização domiciliária traz benefícios para o doente agudo

Hospitalização domiciliária traz benefícios para o doente agudo
Artigo de OPINIÃO Drª Francisca Delerue

Expulsemos as traquitanas