MULTIMÉDIA

Construção de rotunda na 3ª Circular vai obrigar a cortes parciais durante 90 dias

A partir de esta terça-feira e durante 90 dias a 3ª Circular de Cascais irá registar alguns cortes parciais na via, devido aos trabalhos de implementação de uma rotunda no atual cruzamento com a rua de São Bernardo. Os trabalhos estarão a cargo da empresa municipal Cascais Próxima, anuncia o município, que apela à compreensão dos milhares de utentes que utilizam diariamente aquela rodovia - uma das mais movimentadas do concelho.


4 comentários:

Anónimo disse...

rotunda para alguem lucrar com isso e mais umas lombas do seculo 17... esta é a mobilidade em Cascais ... como a saida da A5 em Birre por um funil na Rua das Glicinias... igualmente com lombas do seculo 17 .... bizarro ... obras pensadas com o pés.

Paulo Simão disse...

Desculpe António, mas aquele sitio já deviam ter feito uma rotunda.
Mais uma coisa, fazer alterações no sentido Alcabideche.

Anónimo disse...

A rua de S. Bernardo deveria ter duas faixas de rodagem, cinquenta metros antes dos semáforos, para se entrar na 3ª circular.
O semáforo que dá passagem para subir a 3ª circular, no sentido de Alcabideche, está mais tempo "aberto" do que o semáforo para virar à esquerda.
Com duas faixas seria possível o trânsito fluir mais depressa da rua de S. Bernardo para a 3ª circular.
Retirar os semáforos e implantar uma rotunda vai dar mais complicação do que solução.

Paulo Simão disse...

Pois mas com os sinais que está o transito muitas vezes chegga quase as Fontainhas. Eu concordo com Rotunda e o transito vai melhhorar muito e ainda fazia mais, que ocorresse uma mudança para a Rotunda de Birre, que ainda está mais complicado que a da 3º circular!

MULTIMÉDIA. SEGURANÇA

A PSP e o Metro recomendam: "Durante a abertura de portas não utilize o telemóvel. Pode ser vítima de roubo."

Abrigos precisam-se!

Quem põe na ordem donos de caninos?

Hospitalização domiciliária traz benefícios para o doente agudo

Hospitalização domiciliária traz benefícios para o doente agudo
Artigo de OPINIÃO Drª Francisca Delerue

Expulsemos as traquitanas