AGOSTO FATIDICO PARA BOMBEIROS DE CASCAIS

DESTAQUE

José Moreira (à direita) vai a enterrar no mesmo dia em que, há dois anos, Ana Rita e Bernardo Figueiredo encontraram a morte no Caramulo


*Desde há dois anos que Agosto tem vindo a tornar-se no mês fatídico para os bombeiros  portugueses e, em particular, para os do concelho de Cascais, que viram o luto, a dor e a consternação bater-lhes à porta. A 22 de Agosto de 2013, Ana Rita Abreu Pereira, 24 anos, bombeira dos Voluntários de Alcabideche, e Bernardo Figueiredo, 23 anos, dos Estoris, encontraram a morte longe de casa, na Serra do Caramulo, durante o combate ao dantesco incêndio ateado por mãos criminosas e cujos culpados foram mais tarde julgados e condenados. Ana Rita e Bernardo Figueiredo têm os seus nomes perpetuados em duas ruas em Atibá, nos limites das freguesias de Alcabideche e do Estoril. E este sábado, dia 22 de Agosto,  ainda com Ana Rita e Bernardo nas memórias, eis que os Bombeiros do concelho de Cascais vão a enterrar mais um colega: José Joaquim Mendes Moreira, 41 anos, que integrava a corporação de Carcavelos e São Domingos de Rana desde Outubro de 1996. José Moreira foi projectado e esmagado pelo autotanque em que seguia em marcha de urgência e que acabou por despistar-se e capotar em Talaíde. Não resistiu aos graves ferimentos e veio a falecer no Hospital de S. Francisco Xavier. Já o colega e amigo, Hugo Miguel de Sá Guerreiro, 31 anos, apesar dos ferimentos sofridos, conseguiu sobreviver e, entretanto, recebeu alta do Hospital de Cascais para onde fora transferido, também depois de uma passagem pelo São Francisco Xavier. Nos últimos 35 anos morreram 218 bombeiros portugueses, 45%  dos quais em consequência de acidentes de viação em serviço.
 

Sem comentários:

MAIS PROCURADAS

MULTIMÉDIA.SAÚDE

MULTIMÉDIA. SEGURANÇA

A PSP e o Metro recomendam: "Durante a abertura de portas não utilize o telemóvel. Pode ser vítima de roubo."