Homem que fez ameaças sofre de avançado estado depressivo e foi assistido em Lisboa

Segurança


O homem, de 49 anos, intercetado esta terça-feira, ao final do dia, numa ação conjunta da GNR de Alcabideche e da PSP de Cascais, sofre de "avançado estado depressivo", por alegados conflitos familiares, confirmou, a Cascais24, fonte da PSP.

Ainda esta terça-feira, à noite, depois de intercetado na rua de São José e depois de conduzido à Esquadra da PSP de Cascais, o homem foi transportado, em ambulância dos Bombeiros Voluntários de Cascais, ao serviço de psiquiatria do Hospital de Santa Maria, em Lisboa, para "tratamento voluntário".

A mesma fonte policial revelou que a central da PSP foi alertada pela GNR de Alcabideche para uma situação de conflito na rua de São Paulo, nas Fontaínhas, Cascais, em que "um homem armado ameaçara pôr fim à vida da mãe".

"O homem acabou por ser visualizado na rua de São José e neutralizado, tendo sido confiscada uma pistola, que veio a revelar-se ser de alarme", concluiu a mesma fonte da PSP.

Cascais24 apurou, entretanto, que a mãe do homem terá negado a existência de antecedentes de violência e denunciado que o estado depressivo do filho dever-se-ia a "problemas com a mulher".

Recorda-se que a interceção do homem foi rodeada de alguns pormenores rocambolescos.

Conforme Cascais24 noticiou na altura, com base em informações de outra fonte policial, a GNR de Alcabideche fora alertada, via 112, para a presença de um homem que estaria barricado e ameaçava matar a mulher e suicidar-se na rua de São Paulo, em Manique de Baixo. A mulher, afinal era a própria mãe.

No entanto, a morada não estava correta e a verdadeira morada era uma rua com o mesmo nome, mas nas Fontaínhas, a alguns quilómetros, para onde a GNR de Alcabideche acabou por convergir.

Alertada, entretanto de que o homem tinha abandonado o domicílio e planearia deslocar-se ao Hospital de Cascais, a GNR e a PSP acabaram por montar um dispositivo, que veio a culminar na sua interceção.

De acordo com a mesma fonte policial, ao aperceber-se das forças de segurança, lançou para um relvado uma pistola e continuou a caminhar, ignorando as ordens para parar. Acabou derrubado e neutralizado por um militar da GNR.


Sem comentários: