GRIPE. Centros de Saúde de Cascais abertos até às dez da noite

Saúde

Por Redação


Os cinco Centros de Saúde do concelho de Cascais estão a funcionar nos dias úteis com horário alargado, entre as 20h00 e as 22h00, no âmbito do plano de contingência e de reforço contra o esperado pico da gripe, mas ao sábado e domingo apenas dois, Cascais e Parede, estão abertos.

Entre segunda e sexta-feira, todos os cinco Centros de Saúde do concelho (Cascais, São João do Estoril, Parede, Alcabideche e São Domingos de Rana) estão a funcionar entre as oito e as dez horas da noite.

No entanto, ao sábado e domingo, quem estiver com sintomas de gripe apenas pode recorrer aos Centros de Saúde de Cascais e de Parede.

Os Centros de Saúde de Cascais e de Parede estão a funcionar ao sábado entre as 9h00 e as 18h00 e ao domingo entre as 10h00 e as 16h00.

Este alargamento de horário, segundo divulgou a Administração Regional de Saúde (ARS) de Lisboa e Vale do Tejo, está em vigor, pelo menos até ao próximo dia 28 de janeiro.

Apesar do alargamento de horários dos Centros de Saúde nesta fase alegadamente “crítica”, há quem opte por, em caso de gripe, deslocar-se diretamente à urgência do Hospital de Cascais, o que as autoridades de saúde desaconselham, não obstante saber-se que só esta unidade de saúde dispõe de meios de diagnóstico e de exames diretos aos utentes, que os Centros de Saúde não dispõem!

A gripe e os conselhos da Direção Geral de Saúde
Segundo a Direção Geral de Saúde, a gripe "é uma doença contagiosa que, maioritariamente, cura espontaneamente. Mas podem ocorrer complicações, particularmente em pessoas com doenças crónicas ou com 65 ou mais anos de idade.
Nos anos mais recentes a maior atividade gripal tem sido observada entre os meses de dezembro e fevereiro.
Os vírus da gripe estão em constante alteração e a imunidade provocada pela vacina não é duradoura, pelo que as pessoas se devem vacinar anualmente.
A gripe é a doença mais frequente do adulto e pode ser prevenida pela vacinação. 
Vacinação
A vacinação contra a gripe é a principal medida de prevenção contra a gripe e tem como objetivo proteger as pessoas mais vulneráveis, prevenindo a doença e as suas complicações.
A vacinação inicia-se em Outubro e deve ser feita preferencialmente até ao fim do ano. A vacina pode ser administrada durante todo o outono e inverno.
A vacinação contra a gripe é fortemente recomendada a:
  • Pessoas com idade igual ou superior a 65 anos;
  • Doentes crónicos e imunodeprimidos (a partir dos 6 meses de idade);
  • Grávidas;
  • Profissionais de saúde e outros prestadores de cuidados (ex.: lares de idosos).
Aconselha-se também a vacinação às pessoas com idade entre os 60 e os 64 anos.
A vacina está disponível, gratuitamente, nos centros de saúde para alguns dos grupos de risco. As pessoas não abrangidas pela vacinação gratuita podem adquirir a vacina nas farmácias, sob prescrição médica, beneficiando de comparticipação de 37%.
As receitas médicas nas quais seja prescrita, exclusivamente, a vacina contra a gripe, emitidas a partir de 1 de julho, são válidas até 31 de dezembro.
Vacinação gratuita
A vacinação é gratuita nos centros de saúde para as pessoas:
  • Com idade igual ou superior a 65 anos;
  • Residentes ou internadas em instituições;
De grupos de maior risco clinico, independentemente da idade, sem necessidade de declaração médica:
  • Diabetes Mellitus
  • Terapêutica de substituição renal crónica (diálise)
  • Trissomia 21
  • A aguardar transplante de células percursoras hematopoiéticas ou de órgãos sólidos
  • Submetidas a transplante de células precursoras hematopoiéticas ou de órgãos sólidos
  • Profissionais do Serviço Nacional de Saúde (SNS) e Bombeiros com atividade assistencial
Com necessidade de declaração médica, referindo a sua inclusão num destes grupos de risco:
  • Sob quimioterapia
  • Fibrose quística
  • Défice de alfa-1 antitrispina sob terapêutica de substituição
  • Patologia do interstício pulmonar sob terapêutica imunossupressora
  • Doença crónica com comprometimento da função respiratória, de eliminação de secreções ou com risco aumentado de aspiração de secreções
O Serviço Nacional de Saúde tem cerca de 1,4 milhões de doses de vacinas para administrar gratuitamente.
Contacte o seu Centro de Saúde.

Profissionais de saúde
Os profissionais de saúde são a principal fonte de aconselhamento e de motivação para a vacinação das pessoas pertencentes aos grupos de risco.
Estes profissionais têm também maior probabilidade de contrair a infeção e de a transmitir aos seus familiares e, também, aos doentes a seu cuidado.
Assim, os profissionais de saúde são um dos grupos alvo prioritários para a vacinação e com acesso gratuito à vacina.
Se é profissional de saúde vacine-se contra a gripe e dê o exemplo.
A vacinação dos profissionais de saúde é um direito e um dever!
Outras medidas de prevenção
Para prevenir as infeções respiratórias, para além da vacinação contra a gripe, são essenciais a higiene das mãos, a etiqueta respiratória (tossir ou espirrar para um lenço descartável ou para o antebraço) e no caso de estar infetado aconselha-se o distanciamento social.


Sem comentários: