O Bombeiro "herói" das alturas que fez resgate de alto risco em Carcavelos

Por VALDEMAR PINHEIRO
Nuno Alric, o bombeiro da corporação de Carcavelos que fez o salvamento de alto risco a 50 metros de altura

18.03.2017


Chama-se Nuno Alric, tem 33 anos, é bombeiro há 18 e desde outubro que é voluntário profissional no corpo de Bombeiros de Carcavelos e São Domingos de Rana o homem que, esta sexta-feira, à tarde, logrou resgatar, com sucesso, de uma altura de 50 metros, o manobrador da grua acometido de doença súbita nos trabalhos da nova universidade de economia, em Carcavelos.

A partir do habitáculo da grua até à plataforma giratória do veículo VP37 da corporação de Alcabideche, através de cabos e cordas, com o manobrador alojado e em segurança, Nuno Alric respirou bem fundo quando entregou aos colegas o homem - um cidadão de origem russa, de 34 anos, que acabou por ser transportado à urgência do Hospital de Cascais.

“Senti-me muito bem, porque tudo decorreu normalmente”, disse a Cascais24.

Com larga experiência no resgate em poços e com treino de formação em arribas, Nuno Alric confidenciou, no entanto, ao Cascais24, que “tem um grande respeito pelas alturas”, mas salvaguardou que, “no momento em que somos confrontados com uma missão, sobretudo salvar alguém que está em risco, esquecemos os nossos receios”.

“Confiar na formação, no material e no trabalho de equipa são os itens mais importantes e a base do sucesso”, explicou Nuno Alric.

Esta sexta-feira, pouco depois das três horas da tarde, o manobrador da grua foi acometido de doença súbita a 50 metros de altura. Fala-se em princípio de AVC, mas não há certezas.

Os colegas aperceberam-se de que o manobrador não estava bem e acionaram os Bombeiros Voluntários de Carcavelos e São Domingos de Rana, que enviaram socorro.

O bombeiro Nuno Alric estava de folga. “Estava na barbearia, na Parede, a cortar o cabelo e a fazer barba, quando o meu comandante ligou, a solicitar a minha presença”, contou a Cascais24.

“O corte e a barba ficaram a meio, peguei na moto e dirigi-me para o quartel”, recorda Nuno Alric, segundo o qual “porque não tinha a chave do cacifo”, onde guarda o fardamento, acabou por partir à civil para o local da ocorrência.

Subiu a grua até ao habitáculo, onde estavam, entretanto, dois outros colegas junto do manobrador. “Ele estava consciente, queixava-se de dores no braço esquerdo e ficou algo nervoso quando o informámos de que iria ser resgatado pelo ar, mas conseguimos convencê-lo de que toda a segurança estava garantida e acabou por confiar no nosso trabalho”, lembra Nuno Alric.

Com o recurso a cabos e cordas e o manobrador em segurança, Nuno Alric iniciou a “descida controlada” até à plataforma giratória de 37 metros dos Bombeiros Voluntários de Alcabideche, cujo apoio fora entretanto pedido pela corporação de Carcavelos e São Domingos de Rana.

Nuno Alric e a mulher, também ela bombeira em Carcavelos, que seguiu com emoção a operação de resgate (Foto DR)
Em terra, 50 metros abaixo, a esposa de Nuno Alric, também ela bombeira na mesma corporação e que fazia parte da primeira guarnição a chegar ao local, seguiu com alguma emoção e receio também toda a operação de resgate que, felizmente, foi muito bem-sucedida.

Comandante Paulo Santos


Orgulhoso com a atuação dos seus homens e, sobretudo de Nuno Alric está o comandante Paulo Santos, embora tenha salvaguardado de que “tudo isto faz parte do nosso trabalho, da nossa missão de salvar vidas e bens, do lema de todos os bombeiros portugueses “Vida por Vida”.




Sem comentários: