Verdeguia apoia moradores da Costa da Guia contra construção de sinagoga

ATUAL


Por Cascais24



A Verdeguia, Associação de Moradores da Costa da Guia, deliberou em assembleia geral extraordinária, realizada esta quarta-feira, “opor-se frontalmente à construção no terreno cedido à associação Chabad”, que planeia instalar um centro judaico, e “apoiar o recurso aos meios judiciais feito por um associado”.

Em causa, conforme Cascais24 avançou recentemente, está a cedência à Associação Chabad de Portugal do direito de superfície do terreno municipal, com uma área de 4.969,86 m2 que foi formalizada em maio último entre Carlos Carreiras e o rabino representante da mesma.

“Lutar para que aquela área permaneça verde, de uso público e lúdico” foi outra deliberação tomada nesta assembleia extraordinária da Verdeguia.

Para além de uma petição pública promovida por uma comissão de moradores- a SOS Costa da Guia – os seus representantes estiveram na última Assembleia Municipal, solicitando a reversão da cedência do direito de superfície do terreno na rua dos Vidoeiros, mas segundo uma nota publicada na página do facebook daqueles moradores “a atitude do Presidente da CMC foi, mais uma vez também, a de rejeitar liminarmente a vontade dos moradores transmitida pela SOS Costa da Guia, afirmando que ia ser "uma construção ligeira" e que "não vai ser um local de culto, mas que se for, não me choca.". 

A cedência do terreno à associação Chabad na Costa da Guia foi aprovada em reunião do executivo a 25 de julho do ano passado pela maioria que governa a Câmara de Cascais, com o voto contra do vereador da CDU Clemente Alves e a abstenção da vereadora Isabel Magalhães, do movimento independente SerCascais.

Para os responsáveis municipais, que aprovaram a cedência, foi “mais um passo para o acolhimento da diversidade do culto e tradições no concelho de Cascais”.


Sem comentários: