EDUCAÇÃO. Agrupamentos de escolas de Cascais vão ter onze novos psicólogos

Atual

Por Redação
12/07/2018

Os onze agrupamentos de escolas do concelho de Cascais vão passar a contar com dois psicólogos no próximo ano letivo.

A informação foi confirmada, a Cascais24, pelo vereador Frederico Pinho de Almeida, que detém os pelouros da Educação e Ação Social.

Até ao momento, existia um psicólogo em cada agrupamento, o que, segundo Frederico Pinho de Almeida, era “manifestamente curto”, motivo pelo qual este reforço não é só uma boa notícia, como, também, perfeitamente justificável.

Os onze novos psicólogos a serem colocados por cada agrupamento são recrutados em regime de estágio profissional e irão exercer a sua atividade durante todo o próximo ano letivo, assegurou Frederico Pinho de Almeida.

Os novos técnicos serão nomeados pela Ordem dos Psicólogos e o recrutamento é feito com base na parceria que envolve a Câmara Municipal de Cascais e a Federação de Pais e Encarregados de Educação do concelho.



Vereador Frederico Pinho de Almeida
Segundo o vereador, trata-se de um “reforço extremamente importante, que parte da iniciativa do município depois do Ministério da Educação ter falhado, pelo menos no caso de Cascais, com um anunciado reforço de psicólogos em janeiro do ano passado".

No concelho de Cascais existem onze agrupamentos de escolas.

À exceção do Agrupamento de Alcabideche, que tem contado com um psicólogo em part time, todos os outros contam, cada um, com um técnico em full time, isto é a tempo inteiro.

Com o recrutamento dos onze novos psicólogos, cada agrupamento de escolas do concelho passa a contar com dois técnicos.



Missão

Contribuir para o desenvolvimento integral dos alunos e para a construção da sua identidade, constitui uma das principais missões dos psicólogos escolares.

Apoiar os alunos no seu processo de aprendizagem e de integração no sistema de relações interpessoais da comunidade escolar e prestar apoio de natureza psicológica e psicopedagógica a alunos, professores, pais e encarregados de educação, no contexto das atividades educativas, tendo em vista o sucesso escolar, a efetiva igualdade de oportunidades e a adequação das respostas educativas, são outros dois objetivos.

Assegurar, em colaboração com outros serviços competentes, designadamente os de educação especial, a sinalização de alunos com necessidades especiais, a avaliação da sua situação e proposta das intervenções adequadas e contribuir, em conjunto com as atividades desenvolvidas no âmbito das áreas curriculares, dos complementos educativos e das outras componentes educativas não escolares, para a identificação de fatores psicológicos dos alunos de acordo com o seu desenvolvimento global e nível etário, fazem, também, parte do trabalho dos técnicos.

Promover atividades específicas de informação escolar e profissional, suscetíveis de ajudar os alunos a situarem-se perante as oportunidades disponíveis, tanto no domínio dos estudos e formações como no das atividades profissionais, favorecendo a indispensável articulação entre a escola e o mercado de trabalho, bem como desenvolver ações de aconselhamento psicossocial e de carreira dos alunos, apoiando o processo de escolha e o planeamento de carreiras e, finalmente, colaborar em experiências pedagógicas e em ações de formação de professores, bem como realizar e promover a investigação nas áreas da sua especialidade, constituem outras das suas missões.

Imprimir


3 comentários:

Tiago Albuquerque disse...

Agora que as "colocações" estão efectuadas, será importante saber se foi executado estes "destacamentos" ou simplesmente mais uma acção de propaganda.

Aguardo com uma certa expectativa para saber se "Os onze agrupamentos de escolas do concelho de Cascais vão passar a contar com dois psicólogos no próximo ano letivo" é uma realidade.

Nada melhor que o Cascais24 voltar a perguntar sobre isto para informar os seus leitores.
Obrigado.

Anónimo disse...

Onze!! Ena tantos...vão custar quase um terço de um dos vários subsídios que a Câmara atribuiu para uma regata do Clube Naval.
Mas haja alegria porque sempre é muito mais do que a Câmara costuma "gastar" com as escolas públicas do concelho.

vitotalves disse...

Vir para aqui como anónimo,é uma grande cobardia.