PÂNICO NA PRAIA. Esfaqueado em rixa entre dois grupos rivais no Tamariz

Segurança

                                                                                                                                                                              (Arquivo)
Por Redação
13 maio 2019
Um jovem, com cerca de 20 anos, foi esfaqueado na região inferior ao pulmão esquerdo durante uma rixa entre dois grupos rivais de etnia africana que, este domingo, à tarde, levou o pânico à praia do Tamariz, no Estoril.

O ferido foi inicialmente assistido e estabilizado por dois nadadores-salvadores do Tamariz, aos quais agentes da Polícia Marítima de Cascais tiveram de garantir proteção até à chegada de reforços.

Depois de estabilizado e assistido numa segunda fase pela VMER, o ferido foi transportado à urgência do Hospital de Cascais.

O incidente, apurou Cascais24, registou-se pouco antes das cinco horas da tarde, em circunstâncias que as autoridades vão agora investigar.

A rixa envolveu dois grupos e acabou por criar uma "mancha" com perto de meio milhar de pessoas, que as autoridades foram obrigadas a dispersar.

As autoridades policiais não fizeram detenções, mas, soube, ainda, Cascais24, identificaram várias pessoas.

No restabelecimento da ordem pública estiveram envolvidos, para além de agentes da Polícia Marítima, efetivos da PSP, que fizeram deslocar patrulhas móveis e a Equipa de Intervenção Rápida (EIR) da Divisão Policial de Cascais.

Na primeira linha de ação

A rixa que este domingo envolveu dois grupos rivais na praia do Tamariz só não tomou proporções mais dramáticas graças ao alerta  dado momentos antes dos incidentes pelos nadadores-salvadores, apurou Cascais24

Apercebendo-se das movimentações suspeitas dos envolvidos foram céleres a alertar as autoridades, o que acabou por traduzir-se numa eficaz e musculada intervenção para reposição da ordem pública na praia.

"Os nadadores-salvadores constituem a primeira linha de ação" nas praias, disse, a propósito, a Cascais24, Pereira da Terra, comandante da Capitania e do Comando Local da Polícia Marítima de Cascais.

Imprimir











7 comentários:

Anónimo disse...

Depois ainda se fazem de coitados quando acontece alguma coisa,se querem ser vistos como pessoas normais têm que fazer para tal,a praia e para mergulhar treinar jogar a bola,relaxar etc,querem lutar vao para um ringue,ou um lugar que não incomodem as pessoas normais.E sim eu sou negro,mas sou racional sou de cv.
Paz.
CarlosVarela

Anónimo disse...

Mandar esses escória toda de volta para África, cá não fazem falta nenhuma, as praias da linha perdem para as da margem sul devido a estas manchas de putos africanos que não sabem estar. A verdadeira direita tem de subir ao poder urgentemente.

Unknown disse...

Ah estão-se a expandir mais para o W no ano passado estavam ao nivel de Carcavelos......

Eveline Brigham disse...

Que vergonha de comentario mais xenófobo! Aliás, como é próprio dos cobardes da direita, nem nome tem, é anónimo!

Anónimo disse...

Que vergonha de come tario mais xenófobo! Tem tanta vergonha de si mesmo que nem assina,fica anónimo!

Rui Coelho disse...

A polícia não fez detenções?
De dezenas não apanhou nenhum?
Ninguém vai a tribunal?
Ou seja, estes delinquentes, que só reconhecem a lei da força,vão continuar a repetir estas e outras façanhas mais graves.

Anónimo disse...

Por estas e por outras é q eu sou a favor do serviço militar obrigatório, para porem ordem nesta canalhice e ociosos.

MULTIMÉDIA. SEGURANÇA

A PSP e o Metro recomendam: "Durante a abertura de portas não utilize o telemóvel. Pode ser vítima de roubo."

Abrigos precisam-se!

Quem põe na ordem donos de caninos?

Hospitalização domiciliária traz benefícios para o doente agudo

Hospitalização domiciliária traz benefícios para o doente agudo
Artigo de OPINIÃO Drª Francisca Delerue

Expulsemos as traquitanas