Casa Sommer guarda memórias de Cascais




Por Redação CASCAIS24

08.12.2016


Alvo de total requalificação, a Casa Sommer, ligada a uma das mais emblemáticas famílias de Cascais, é a nova sede do arquivo histórico, inaugurada esta quarta-feira pelo presidente do município cascalense e com a presença do Presidente da República.

"Sinto-me em família, sinto-me em casa", afirmou Marcelo Rebelo de Sousa, "não só porque moro a 50 metros deste novo Arquivo Municipal, mas também pelos muitos amigos que estão presentes. E aquilo que nos une é a História - e a de Cascais é riquíssima.”
Presidente da República marcou presença (Foto cmCascais)
Já o presidente da Câmara de Cascais, Carlos Carreiras, garantiu: "Estamos evidentemente felizes quando conseguimos ultrapassar um obstáculo por termos tido uma determinação maior”. Carreiras frisou, ainda: “Era ambição de muitos antecessores meus, recuperar este espaço que esteve perto de tornar-se irrecuperável. Este será um dos pilares daquilo que temos vindo a afirmar ser a nossa estratégia: assentar o desenvolvimento para o futuro naquilo que é a nossa identidade."

Com as obras de requalificação, foram aproveitados os dois edifícios que compõe a Casa Sommer. No edifício principal, estão salas de exposição em reatualização permanente - incluindo a sala Branquinho da Fonseca -, a livraria municipal, onde podem ser adquiridas as edições de obras produzidas ou patrocinadas pela Câmara Municipal de Cascais, uma sala de atendimento e outra de consulta. No segundo, onde foi feita uma reabilitação profunda nas antigas cocheiras, estão salas de gabinete técnico, de expediente e de receção de documentação. As duas construções são ligadas por um corredor subterrâneo onde se situa o depósito do novo Arquivo Municipal, com atas desde meados do século XVII, disponíveis para consulta.

Antes da recuperação
A Casa, classificada de interesse municipal em 2005, foi recuperada nestes últimos anos pela Câmara Municipal de Cascais. João Miguel Henriques, responsável pela Divisão de Arquivos e Bibliotecas e Património Histórico, que tutela o Arquivo Histórico Municipal de Cascais, explicou, a propósito, que "além das várias utilizações, vai ser um Centro de História Local, onde os cidadãos, os investigadores e os interessados pela História encontram um manancial importante de fontes para reconstituição do nosso passado coletivo."

Entre as obras em exposição, estão o restaurado Foral de Cascais, com o qual foi fundada a vila, que celebrou recentemente 650 anos de existência; o segundo livro mais antigo do Fundo Municipal, o Livro de Posturas Municipais, que junta leis internas destinadas a reger a vida comunitária, desde 1587, compiladas na primeira metade do século XVIII; um livro de registo de entrada de embarcações do Porto de Cascais, de 1848 a 1863; e a representação mais antiga que se conhece da vila de Cascais, cerca 1530, figurando o castelo e a Fortaleza de Nossa Senhora da Luz.

Apontado como um dos mais icónicos edifícios de Cascais, a Casa Sommer situa-se no Largo da Assunção, junto à Cidadela e ao Centro Cultural.

Sempre ligada a uma das mais emblemáticas famílias de Cascais, a Casa Sommer foi mandada construir nos finais do século XIX por Henrique Oliveira de Sommer, filho de Heirinch Franz Ludwig von Sommer, militar de origem alemã e fundador da Sommer & Companhia, especializada no comércio de ferro e aço, que passou a frequentar Cascais em 1892. A propriedade manter-se-ia na posse da família, vindo a ser utilizada, na década de 1960, para outras funções.

A Casa Sommer está aberta a todo o público de 2ª a 6ª-feira, das 9h00 às 17h00 e aos sábados, domingos e feriados, das 10h00 às 18h00.






Sem comentários: