Vítimas de queda de aeronave em Toledo voavam com frequência para Cascais




Por Redação CASCAIS24

07.12.2016

As quatro vítimas da queda, seguida de explosão, da aeronave que, este domingo à tarde, descolara de Madrid para o Aeródromo Municipal de Tires, viajavam com frequência para Cascais, apurou CASCAIS24.

Rafael Malo
No trágico acidente morreram o piloto e dono da aeronave, o empresário espanhol Rafael Malo Silvestre, a atual companheira e as duas filhas dela, gémeas, de 12 anos, soube-se agora.

"A família viajava com frequência para Cascais", disse uma fonte espanhola, sem precisar, no entanto, qual a possibilidade de Rafael Malo ter interesses empresariais na Costa do Estoril. "Desconhecemos", declarou.

A aeronave, um "Beechcraft King Air 90", tinha descolado do aeródromo de Cuatro Vientos, a oito quilómetros do centro de Madrid, com destino a Tires, em Cascais, e acabou por despenhar-se e incendiar-se em Toledo, matando os seus quatro ocupantes. 


O acidente registou-se pelas 16h22, hora espanhola, 20 minutos depois do aparelho ter deslocado do aeródromo de Cuatro Vientos.
Aeródromo de Cuatro Vientos

Por motivos que agora as autoridades espanholas estão a averiguar, a aeronave despenhou-se numa região florestal, entre Sotillo de las Palomas e Segunilla, na província de Toledo.

Uma testemunha, citada pela Imprensa espanhola, afirmou aos serviços de emergência ter visto o aparelho "às voltas", caindo de seguida e explodindo com o impacto no solo. Os corpos ficaram carbonizados.


Já nada havia a fazer quando as equipas de socorro chegaram.


Tires era o destino


O piloto e a companheira encontravam-se na parte dianteira da aeronave, e as duas crianças na traseira. 




Sem comentários: