Aeronave de empresário com destino a Tires cai e mata quatro em Espanha


Aeronave que vinha para Tires era igual a esta

Por Redação CASCAIS24

04.12.2016
A aeronave matriculada nos Estados Unidos, que saiu do aeródromo de Cuatro Vientos, a 8 quilómetros do centro de Madrid, com destino a Tires, em Cascais, e acabou por despenhar-se e incendiar-se em Toledo, matando os seus quatro ocupantes, este domingo à tarde, é propriedade de um empresário espanhol com negócios imobiliários na Costa do Estoril, soube Cascais24.

No aparelho, um "Beechcraft King Air 90", viajavam quatro pessoas, todas elas de nacionalidade espanhola: o piloto, Rafael Malo, um amigo e os dois filhos deste, duas crianças de 6 e 10 anos, que os acompanhavam nesta viagem a Cascais.

O acidente registou-se pelas 16h22, hora espanhola, 20 minutos depois do aparelho ter deslocado do aeródromo de Cuatro Vientos, situado a 8 quilómetros da capital espanhola.

Por motivos que agora as autoridades irão averiguar, a aeronave despenhou-se numa região florestal, entre Sotillo de las Palomas e Segunilla, na província de Toledo.

O alerta aos serviços de emergência foi dado por um pastor, que assistiu à queda do aparelho.

A queda da aeronave foi seguida de incêndio.

Os corpos das quatro vítimas foram encontrados carbonizados pelas equipas de socorro, coordenadas pelos serviços de Proteção Civil.

Piloto e acompanhante encontravam-se na parte dianteira da aeronave, e as duas crianças na traseira.

Resta agora saber quais as causas do trágico acidente- missão que está a cargo da Polícia Judicial da Guardia Civil de Toledo, em cooperação com a aeronáutica civil espanhola. 










Sem comentários:

MULTIMÉDIA. SEGURANÇA

A PSP e o Metro recomendam: "Durante a abertura de portas não utilize o telemóvel. Pode ser vítima de roubo."

Abrigos precisam-se!

Quem põe na ordem donos de caninos?

Hospitalização domiciliária traz benefícios para o doente agudo

Hospitalização domiciliária traz benefícios para o doente agudo
Artigo de OPINIÃO Drª Francisca Delerue

Expulsemos as traquitanas