Coordenadora municipal de Proteção Civil de Cascais pondera abandonar o cargo

Segurança

Por Redação
24 novembro 2018 
A coordenadora municipal de Proteção Civil de Cascais, Maria do Céu Garcia, manifestou intenção de abandonar o cargo e regressar à empresa municipal de origem, a Cascais Dinâmica, apurou Cascais24.

Maria do Céu Garcia, 57 anos, foi nomeada em janeiro último.

Não são conhecidos os motivos que Maria do Céu Garcia irá alegar para o abandono do cargo, embora fontes próximas da coordenadora municipal tenham assegurado, a Cascais24, que a antiga adjunta da presidência do município cascalense sente-se "desgastada profissionalmente" e necessita de "mais tempo para a sua vida pessoal".

Maria do Céu Garcia, que é considerada por vários setores da vida cascalense como uma "excelente relações públicas", foi nomeada em outubro de 2013 adjunta do gabinete de apoio à presidência da Câmara de Cascais, deixando nessa altura a empresa municipal Cascais Dinâmica.

Homenageada pela PSP no ano passado em Oeiras
No ano passado, Maria do Céu Garcia foi condecorada pela PSP, no âmbito do 150º. aniversário do Comando Metropolitano de Lisboa (Cometlis), em Oeiras, pela sua colaboração com as forças de segurança em Cascais.

Candidatos à sucessão

Com a previsível saída de Maria do Céu Garcia até final do ano, o chefe do governo local de Cascais, Carlos Carreiras deverá, entretanto, encontrar um nome para ocupar o cargo de coordenador municipal de Proteção Civil.

Segundo Cascais24 apurou, serão quatro os nomes em análise pelo chefe do executivo cascalense.

Carlos Mata
Carlos Mata, antigo comandante dos Bombeiros de Alcabideche e comandante operacional distrital de Proteção Civil de Lisboa e, atualmente, diretor do serviço municipal de Proteção Civil é o candidato mais provável ao cargo. Mata é, ainda, técnico superior nos quadros do município, além de militante social-democrata.

Carlos Estibeira


Outro dos nomes é Carlos Estibeira, também atualmente alto quadro da Proteção Civil Municipal e segundo comandante dos Bombeiros de Cascais. É considerado por alguns "muito experiente" na área da proteção civil.




Pedro Araújo, comandante dos Bombeiros de Parede, é outro dos nomes que Carlos Carreiras poderá vir a ponderar para o cargo. Reúne consenso de que "é um dos mais qualificados e, na atualidade, entendidos homens com profundos conhecimentos na área".
Norberto Gomes

Finalmente, Norberto Gomes, o Intendente que está a comandar a Divisão Policial de Cascais desde julho de 2015, embora não goze da simpatia da maioria do seu efetivo, poderá ser outro dos nomes para o cargo em comissão de serviço. Tem vindo a ganhar a confiança de Carlos Carreiras. Antes de vir para Cascais, proveniente do Comando de Setúbal, esteve a exercer funções de chefe de divisão de fiscalização e na Polícia Municipal da Câmara de Almada.
Imprimir







1 comentário:

Anónimo disse...

Os politicos em Cascais no poder , não possuem coerência no seu discurso .
Apregoam depois da tragédia dos 600 hectares ardidos na feguesia de Alcabideche, inseridos no Parque Natural Sintra Cascais, que a autarquia fez um trabalho recomendável, concursou a desmatação, limpeza da floresta, mas ficou provado que nem sequer sabiam o que é um parque de combustivel lenhoso, deixando nas bermas das estradas principais restos de desmatação do dito material ... e o fogo só existe porque existe combustivel .
Depois da evacuação das 350 pessoas, vieram apregoar que existiu uma liderança local serena e determinada ... de facto podemos agradecer aos 500 bombeiros que estiveram no local, oriundos de todas as partes do País, assim como os meios aereos requisitados pela comando distrital da ANPC, e com a ajuda do vento .
Depois da tragédia, o jornal Público noticiou um documento / relatório europeu que alertava para o risco de incêndio no Parque Natural Sintra Cascais, sendo o mesmo do conhecimento do Governo e da autarquia no primeiro semestre de 2018 ... não ouvimos nenhum comentário ou comunicado do responsável da segurança número um de Cascais, sobre este assunto aos municipes .
A Protecção Civil de Cascais, levou a cabo este ano em conjunto com as outras forças de segurança , mais uma edição / divulgação de meios no Cascais Shopping, como vem sendo usual, ninguém percebendo ou dando a perceber que, sendo o concelho um dos principais potenciador de alto risco sismico com devastação enorme, por exemplo ninguém conhece os pontos de encontro em caso de sinistro ou abrigos , assim como efectivação de simulacros para este efeito a nivel populacional .
Em função do exposto, e do assentamento da "poeira" de uma série de "casos", é natural que a Coordenadora Protecção Civil de Cascais apresente a demissão,
aproveitando o decisor politico local governativo, a boleia do enquadramento da proposta do Governo da lei orgânica da actual ANPC com a criação dos comandos regionais e sub-regionais, para adequar a seu belo prazer e dos amigos do partido, aquilo que criticam no Governo do País , ou seja JOB FOR THE BOYS do PSD /CDS ... e depois venham os bombeiros e sua Liga , com as corporações incluidas do concelho, manifestarem-se como o fizeram recentemente em Lisboa, numa concentração a nivel nacional , em que são desconsiderados e marginalizados .... a gerigonça PSD / CDS do governo local de Cascais no seu melhor .

A BEM DE CASCAIS

MULTIMÉDIA. SEGURANÇA

A PSP e o Metro recomendam: "Durante a abertura de portas não utilize o telemóvel. Pode ser vítima de roubo."

Abrigos precisam-se!

Quem põe na ordem donos de caninos?

Hospitalização domiciliária traz benefícios para o doente agudo

Hospitalização domiciliária traz benefícios para o doente agudo
Artigo de OPINIÃO Drª Francisca Delerue

Expulsemos as traquitanas