Bombeiros de Alcabideche querem criar um museu e requalificar quartel

Atual

Por Redação
14/05/2018

Com 91 anos de existência e um acervo riquíssimo, os Bombeiros de Alcabideche pretendem criar um museu, a instalar no icónico edifício projetado em 1928 pelo arquitecto Norte Júnior. 

É nesse sentido, a par da requalificação do quartel principal, com obras de melhoria da eficiência energética, que este ano voltam a recorrer ao Orçamento Participativo (OP) de Cascais.

O projeto 6, dos Bombeiros de Alcabideche, foi apresentado na sexta-feira, à noite, na sessão pública de participação, que teve lugar na Escola Secundária Ibn Mucana.


Nesta sessão, em que participaram cerca de duas centenas de pessoas, foram apresentados 12 outros projetos, tendo apenas nove, entre os quais os dos Bombeiros de Alcabideche passado agora à fase de análise técnica.

O projeto dos Bombeiros de Alcabideche, que compreende a requalificação do quartel e a criação do museu, foi aprovado com 39 votos.

O museu, onde possa ser colocado todo o vasto acerco, no qual toda a comunidade poderá reviver toda a história riquíssima de 91 anos a salvar vidas e bens, é uma ambição antiga dos Bombeiros de Alcabideche.

Maior transparência e algumas mudanças

Entretanto, até ao próximo dia 26 os projetos concorrentes ao OP podem ser apresentados e votados em mais cinco sessões, a terem lugar em Cascais/Estoril, na Escola Secundária da Cidadela, esta segunda-feira (21h00), em Carcavelos/Parede, na Escola Secundária de Carcavelos, amanhã, dia 15 maio (21h00), em S. Domingos de Rana, no Complexo Desportivo de São Domingos de Rana no dia 22 maio (21h00), de novo em Alcabideche, no Complexo Multiserviços da CMC, em Alcoitão, no dia 24 maio (21h00) e, finalmente, em Cascais, na Praça 5 de Outubro no dia 26 maio (15h00).

Este ano, segundo o município, para uma maior transparência do processo, a participação implica o registo em www.cascaisparticipa.pt.

Há, ainda, a registar algumas mudanças neste OP2018. O montante orçamental disponível passa a estar dividido por duas tipologias de projetos. Na Tipologia A enquadram-se propostas que beneficiem a atividade e/ou utilizadores de uma entidade formalmente constituída (é o caso das propostas para melhorar Associações, Escolas, Grupos Desportivos, entre outras). 

Por sua vez, na tipologia B, encaixam propostas que beneficiem os cidadãos que não se enquadram na tipologia A. Outras das alterações é que, não serão admitidas propostas para uma entidade ou espaço físico que tenha beneficiado de um apoio do Orçamento Participativo na mesma área de classificação no ano anterior.

O Orçamento Participativo (OP) de Cascais tornou-se no mais votado na Europa e nos primeiros sete anos foram aplicados diretamente pelos cidadãos 22,1 milhões de euros de verbas municipais para a realização de 115 obras nas mais diversas áreas.




Imprimir

Sem comentários: