Inglesa detida em Tires por ofensas à GNR

Atual




Detida há quatro meses na cadeia de Tires, Cascais, Sophie Grey, uma jovem britânica de 25 anos, aguarda julgamento em prisão preventiva por alegadas ofensas a militares da GNR, em abril último, na Praia das Maçãs, em Sintra.

A detenção da britânica na cadeia de Tires foi há dias notícia no tabloide inglês The Sun, na qual o pai, Roger Grey, 66 anos, conta que a filha foi presa por “ter pedido aos polícias que não matassem os seus dois cães de estimação”, Vino e Stamper, entretanto levados para França por um amigo da jovem.

O pai de Sophie garantiu ao jornal The Sun que tudo começou quando a filha viu o namorado e o amigo "cobertos de sangue" a serem levados pelas autoridades. A jovem, que tinha estado a passear os seus cães na praia, diz não ter presenciado qualquer situação atípica que pudesse ter provocado aquele cenário. Roger acrescenta que no meio de toda aquela agitação, um dos polícias terá apontado uma arma a um dos dois cães de Shopie quando estes começaram a ladrar. "Ela só disse: 'Por favor, não mate o meu cão'. Depois foi logo algemada e levada sob custódia policial.

Cascais24 apurou, entretanto, que a detenção da jovem inglesa, registada em abril na Praia das Maçãs – área do dispositivo da GNR – terá surgido na sequência de ofensas graves feitas aos militares.

Na altura, a inglesa foi presente a um juiz, que recusou qualquer caução e decretou a prisão preventiva, por alegado perigo de fuga, soube, ainda, o Cascais24.

Desde então Sophie Grey está detida no estabelecimento prisional feminino de Tires. Só em finais de setembro próximo deverá ser julgada.

"Têm sido meses de angústia. A Sophie está numa prisão onde quase ninguém fala a língua dela", disse o pai ao The Sun.

Sophie, que vive em França, o namorado e um amigo tinham viajado para a Praia das Maçãs para participar no 4.º Festival do Mexilhão, que ai decorreu em abril.

Segundo Cascais24 soube, o caso da jovem britânica tem estado a ser acompanhado pela Embaixada britânica, em Lisboa, depois do deputado inglês David Davies ter apelado à intervenção do Secretário de Relações Exteriores, Boris Johnson.

2 comentários:

Manuel Dinis Couto disse...

A historia esta mal contada a Justiça de Portugal nao encarcerava assim uma jovem se fosse primaria as pessoas esquecem que hoje existe informacoes ao dispor das autoridades em poucos segundos descobrem tudo de mal que um qualquer cidadão tenha feito.

Anónimo disse...

......este relato que aqui consta denota grande falta de veracidade e de outros factos, necessários a uma obvia correcta e coerente análise...